Alagoas, 05 de junho de 2020 25º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
MACEIÓ

'Foi negligência médica', afirma filho de idoso que morreu de Covid-19

Bruno Fernandes e José Fernando Martins

31/03/2020 14h02 - Atualizado em 31/03/2020 18h06

José Dagmar Xavier da Rocha internado no HGE
Foto: ReproduçãoJosé Dagmar Xavier da Rocha internado no HGE

O filho de José Dagmar Xavier da Rocha, de 63 anos, que morreu por causa do Coronavírus, na UPA do Trapiche de Maceió, afirmou ao EXTRA que o idoso foi vítima de negligência médica.

Antônio Guedes da Rocha Neto informou que só ficou sabendo o motivo do óbito do pai pela rede social do governador, Renan Filho. Segundo ele, dos primeiros sintomas até o falecimento, foram 17 dias de sofrimento.

"Levei meu pai para a UPA do Jacintinho e lá a médica deu um antibiótico e o liberou para voltar para casa", contou. Após medicado, José Dagmar voltou à unidade hospitalar reclamando de falta de ar.

Desconfiado pelos sintomas, o filho do paciente chegou a pedir que fosse realizado o exame de Covid-19. "Foi quando a médica alegou que não havia necessidade por causa do histórico de fumante do meu pai. A situação piorou e, depois, ele foi encaminhado ao HGE já com suspeita de Covid-19".

Após dois dias internado, José Dagmar foi transferido à UPA do Trapiche onde permaneceu isolado. "Entramos em contato com o governo, que tentou transferir meu pai para hospitais particulares, que se negaram a recebê-lo".

"Estou destruído. O pior é o preconceito que estamos sofrendo. Eu e meus filhos estamos isolados em casa. Meus filhos são asmáticos. Até para enterrar meu pai foi difícil. Tudo estava fechado: cartório, banco, tudo. Só consegui enterrar meu pai após muita conversa", disse. O enterro aconteceu na noite de segunda-feira, 30.

Antônio Guedes chegou a gravar um vídeo mostrando o pai internado no HGE. Ainda segundo a família, José Dagmar Xavier da Rocha morava em Maceió há seis anos.

A esposa de Guedes, Mikayla Souza, foi até o Instagram do governador dizendo que também lutaram por uma vaga de UTI, mas que não obtiveram sucesso. (Confira imagem)

A assessoria de imprensa da UPA do Trapiche informou à reportagem que o exame que constata a morte por Coronavírus não chegou até a unidade. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) declarou que uma nota sobre a suposta negligência será encaminhada à imprensa.

Sobre o óbito, a Sesau enviou: "A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que, nesta terça-feira (31/03/2020), foi confirmado o primeiro óbito pela Covid-19 em Alagoas, conforme exame realizado pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL). A Sesau esclarece que a vítima, do sexo masculino, tinha 63 anos, e estava internada com respiração artificial. A Sesau salienta, ainda, que a vítima é natural do Acre e residia na capital alagoana há seis meses, não havendo histórico de viagem para fora do Estado. Segundo o prontuário médico, ele era diabético e seus familiares estão em isolamento domiciliar, sendo monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

Assista

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade