Alagoas, 25 de novembro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
QUARENTENA

Maragogi, maior polo turístico de Alagoas, se isola para frear disseminação do novo coronavírus

Prefeitura adota barreiras sanitárias e faz vacinação contra influenza indo a casa dos idosos

Tâmara Albuquerque

24/03/2020 09h09

Sérgio Lira em entrevista a uma rádio local. Foto: Severino Carvalho
Sérgio Lira em entrevista a uma rádio local. Foto: Severino Carvalho

O município de Maragogi, um dos principais polos turísticos de Alagoas, está em isolamento geral desde sexta-feira passada, quando foram iniciadas as barreiras sanitárias determinadas pelo prefeito Sérgio Lira (PP). O município tem um caso suspeito de Covid-19. 

Além de cumprir as determinações do decreto do governador Renan Filho e as orientações do governo federal para frear a disseminação do novo coronavírus, a prefeitura adotou outras medidas preventivas.

Desde sexta-feira, por exemplo, está proibida a entrada de ônibus intermunicipais e interestaduais em Maragogi, assim como do transporte alternativo de passageiros. A prefeitura suspendeu o funcionamento de todos os estacionamentos da cidade e intensificou o cumprimento das medidas oficialmente decretadas, como o fechamento do comércio e, principalmente, a quarentena. 

Segundo o prefeito, os idosos estão cumprindo com rigor o isolamento social e não vão precisar deixar suas casas nem para tomar a vacina contra a gripe, campanha iniciada ontem em nível nacional. 

“Nós temos o mapeamento dos idosos e os técnicos de enfermagem estão indo até as residências das pessoas fazer a vacinação. A medida é para evitar que a população quebre a quarentena e se exponha ao coronavírus, já que os idosos são o grupo mais vulnerável à doença”, explica Sérgio Lira.

O município tem uma UPA referência para a região e que está, segundo o prefeito, dotada de condições para atender os casos suspeitos de coronavírus, mas havendo necessidade, informa o prefeito, a área da saúde contará com a estrutura de estabelecimentos de hotelaria para acomodar leitos hospitalares. 

“Nós temos recebido apoio irrestrito desse segmento. Os empresários já anunciaram a suspensão de reservas de hóspedes e vão fechar todos os hotéis, resorts, pousadas e similares em 1º de abril ou à medida que forem desocupando os quartos”. A cidade ainda tem registro de quase 500 turistas hospedados, mas que estão providenciando o retorno para seus estados de origem, informa o prefeito.

Sérgio Lira diz que, por enquanto, as empresas do setor hoteleiro estabelecidas no município demitiram perto de 100 trabalhadores, o mesmo patamar que ocorre no inverno. 

“Estamos com arrecadação zero, uma economia de guerra e aguardando a implantação das medidas econômicas anunciadas pelo governo federal, mas a prioridade é proteger a população e evitar a disseminação do coronavírus, salvando vidas”.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade