Alagoas, 01 de julho de 2022 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
FALTA DE PLANO

Maceió tem R$ 722 mil parados na conta para auxílio a venezuelanos

Valor corre o risco de ser devolvido caso não seja utilizado

Bruno Fernandes

23/06/2022 14h02 - Atualizado em 23/06/2022 14h02

Valor foi revelado durante reunião nessa quarta-feira
Ascom/MPFValor foi revelado durante reunião nessa quarta-feira

O município de Maceió está com R$ 722 mil parados em conta por falta de um Plano de Execução para auxiliar migrantes venezuelanos. Por ainda não ter sido utilizado, o valor corre o risco de ser devolvido ao governo federal.

A reunião aconteceu nessa quarta-feira, 22, e tratou sobre o atendimento às demandas dos migrantes indígenas da etnia Warao, oriundos de fluxo migratório proveniente da República Bolivariana da Venezuela, devido à crise política, econômica e social.

De acordo com o procurador da República, Érico Gomes, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) já ultrapassou todos os prazos razoáveis para elaboração do plano.

“Considerando a situação de vulnerabilidade que os migrantes encontram em Maceió, não é admissível que dificuldades técnicas superáveis acabem impossibilitando a destinação adequada dos recursos federais já garantidos para essa população”, afirmou durante reunião realizada nesta quinta-feira, 23.

Ao final da reunião, restou definido o compromisso do município, por meio da Semas, em publicar no Diário Oficial do Município o chamamento para consulta prévia e informada dos beneficiários.

Após o fechamento, a minuta do Plano de Execução será apresentada para últimos ajustes e em 40 dias, a Semas comprometeu-se a apresentar o plano definitivo inclusive as primeiras ações empregadas com os recursos federais já disponíveis.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade