Alagoas, 25 de janeiro de 2022 24º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CORURIPE

Escola do interior acumula 28 medalhas em Olimpíada

Adja Alvorável / Estagiária sob supervisão

29/11/2021 18h06 - Atualizado em 29/11/2021 19h07

Instituição criou ‘Laboratório Olímpico de Matemática’ para incentivar estudantes
Divulgação / ObmepInstituição criou ‘Laboratório Olímpico de Matemática’ para incentivar estudantes

Durante a 15ª edição da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas), 39 alunos da Escola Municipal de Educação Básica Liege Gama Rocha, em Coruripe, foram classificados para a segunda fase da competição e aguardam ansiosos pelo resultado final, que será divulgado em janeiro de 2022. A escola ganhou notoriedade no estado após conquistar 28 medalhas e 72 menções honrosas na competição. 

A instituição criou ‘Laboratório Olímpico de Matemática’ para incentivar estudantes. O professor Antônio Gonçalves Fernandes leciona a disciplina de matemática há 16 anos na Escola Liege Gama e conta que a criação do laboratório, em 2013, fez com que muitos alunos participassem de aulas mais aprofundadas em horário alternativo ao horário escolar. “A proposta era deixar a disciplina mais divertida e prazerosa na construção do conhecimento do aluno, focando em sua aplicação. Ele trilha um caminho que ele mesmo tenta construir, onde faz inferências, levanta hipóteses e tira suas conclusões de maneira independente, interagindo com outros colegas”, explicou.

A aluna Rita Beatriz Lacerda teve a chance de explorar a matemática através do laboratório. À época, ela cursava o 6º ano do Ensino Fundamental. “Meu saber matemático se ampliou de uma forma inexplicável, fazendo com que eu quisesse cada vez mais estar junto da matemática”, disse. 

Rita coleciona menções honrosas e medalhas na competição. Além de ter adquirido conhecimento com os estudos, ela reconhece que o processo também lhe rendeu ganhos pessoais. “As competições me ensinaram a trabalhar em grupo, a querer ser melhor a cada prova, a controlar minha emoções, fazendo com que eu me tornasse uma pessoa melhor. Tive a honra de conhecer pessoas melhores que eu e aprender junto com elas”, concluiu.

Felipe Adeildo da Silva cursa o 9º ano do Ensino Fundamental na unidade e também se encantou pela matemática durante as aulas focadas na olimpíada. Ele começou a participar do Programa de Iniciação Científica (PIC Jr.) como ouvinte. Para isso, ele acordava às 4 horas e viajava para Maceió, onde as aulas aconteciam. O aluno conquistou uma menção honrosa na 14ª OBMEP e contou que um dos resultados mais marcantes foi a conquista da sua primeira medalha de bronze, na edição deste ano. “Tenho confiança naquilo que aprendi, no meu conhecimento e no que posso fazer com ele”, afirma.


Bronze para estudantes de Maceió

Quatro alunos de Maceió receberam, nesta segunda-feira (29), medalha de bronze da 15ª edição da Obmep. A solenidade ocorreu no Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e foi voltada para as provas que ocorreram no ano de 2019.

Os alunos Alycia Gabriela da Escola Municipal Dr Pompeu Sarmento, localizada no Barro Duro, Manoel Messias da Escola Zumbi Dos Palmares, do Clima Bom, e os estudantes Kayque Sadala e Kaue Sadala da Escola José Haroldo Da Costa, ambas do Tabuleiro dos Martins, foram os premiados com as medalhas de bronze.

O professor de matemática da Escola Municipal Dr. Pompeu Sarmento, Geraldo Ferreira, foi o cerimonialista do evento. Além de ser estimulador das práticas competitivas, o educador foi o responsável por inserir as competições na escola Pompeu Sarmento. Geraldo fala do empenho que é mobilizado entre alunos e professores para a obtenção do êxito nas modalidades competitivas. “Hoje é uma culminância de um trabalho de muito tempo, a olimpíada não é apenas a prova, ela dura todo o ano de preparação”, disse Geraldo.

A ex-aluna da instituição, Alícia Lima, foi uma das medalhistas a ser contemplada com a medalha de bronze na olimpíada. A meninaconta que foi tudo realizado com muito esforço. “Eu estudei bastante durante todo o ano. Toda olimpíada em que eu participo meu objetivo sempre é ser medalhista e essa é a minha primeira medalha desde o ano de 2019, me sinto muito bem mas ainda quero um pouco mais, minha ambição ainda não acabou”, explicou Alícia.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade