Alagoas, 23 de abril de 2021 24º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
EM ATÉ UM MÊS

Caixa vai atualizar lista com endereços negativados para financiamento em Maceió

Redação com assessoria

31/03/2021 16h04

Lista de endereços vazou na última semana
Agência BrasilLista de endereços vazou na última semana

O vice-presidente nacional de Habitação da Caixa Econômica Federal (CEF), Jair Mahl, comprometeu-se nesta quarta-feira, 31, em reformular e em até 30 dias publicar uma revisão do total de CEPs que hoje estão “negativados” por seguradoras e pelo financiamento imobiliário do banco.

Na semana passada "vazou" na imprensa alagoana uma extensa listagem com 1.375 CEPs de ruas e avenidas de Maceió, em 15 bairros, que estão com crédito imobiliário suspenso pela CEF. A informação de que a lista passará por revisão foi confirmada em reunião com o deputado federal Marx Beltrão (PSD), em Brasília.



O motivo da suspensão da possibilidade de seguro e correspondente financiamento bancário seria a proximidade destas novas áreas com o Pinheiro, o Bebedouro, o Mutange e o Bom Parto, localidades que vivem a tragédia do afundamento do solo e a desocupação forçada de milhares de residências por seus moradores.

A reunião com o gestor do banco foi solicitada pelo próprio Marx Beltrão, que chegou a convidar na última semana o presidente da CEF Pedro Guimarães para prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre o tema.

“Como já não bastasse a tragédia provocada pela Braskem, o pânico se alastrou com esta relação de quase 1.400 CEPs ‘negativados’ pelo banco. Vamos continuar cobrando e a resposta hoje da Caixa foi revisar e dar publicidade a uma nova relação em 30 dias. A sociedade maceioense necessita destas informações o mais rápido possível”, disse Marx após a reunião com o vice-presidente.

O temor da população dos 15 bairros é de que o fenômeno do afundamento do solo possa acometer também outras áreas da cidade, em bairros como o Farol, a Levada, o Canaã, a Chã da Jaqueira e o Jardim Petrópolis, por exemplo, listados na relação de CEPs chancelada pela CEF.

Além de Marx Beltrão, a Defensoria Pública da União (DPU), em conjunto com a Defensoria Pública do Estado de Alagoas (DPE/AL), o Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL) também cobraram explicações oficiais à Caixa Econômica Federal em Alagoas.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade