Alagoas, 16 de abril de 2021 24º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
AFUNDAMENTO

Hospital Sanatório será transferido para bairro na parte baixa de Maceió

Maria Salésia

26/02/2021 13h01 - Atualizado em 06/03/2021 07h07

Hospital Sanatório: sede comprometida com rachaduras na estrutura
DivulgaçãoHospital Sanatório: sede comprometida com rachaduras na estrutura

Com 75 anos de história e a serviço da saúde pública de Alagoas, o Hospital Sanatório, no bairro do Pinheiro, em Maceió, está prestes a encerrar suas atividades naquele endereço e busca novo lugar para se instalar. A proposta é que a sede seja construída na parte baixa da capital alagoana, no bairro de Cruz das Almas.

Basta um passeio pelo bairro onde hoje está localizado o hospital para perceber que o lugar, de fato, tem data para sumir do mapa de Maceió. É que, com o afundamento do solo, resultado da extração de sal-gema pela Braskem, a sede do Sanatório está comprometida, com rachaduras em vários lugares e com dias contados para desocupar toda área.


De acordo com o diretor administrativo da unidade de saúde, Júlio Bandeira, o problema do Pinheiro pegou todos de surpresa. Inclusive, não teve como fugir do emocional onde servidores, pacientes e toda equipe passaram a viver verdadeira via-crucis. Com agravante de que, com a perda de receita, veio a dificuldade operacional.


Para se ter uma ideia, antes do caos que foi imposto, entrava cerca de R$ 1,4 milhão/mês oriundos de pacientes de convênios e que agora migraram para hospitais e clínicas de outros bairros. A parte do SUS também foi prejudicada com perda equivalente a R$ 800 mil/ mês. E assim, a administração não tem como arcar com despesas de R$ 3 milhões, se a receita atualmente é de R$ 1,5 mil.

Leia a matéria na íntegra na edição do JORNAL EXTRA, nas bancas!

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade