Alagoas, 08 de março de 2021 24º min 30º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CELEBRAÇÃO

UFAL completa 60 anos de serviços à sociedade alagoana

Assessoria Ufal

19/01/2021 15h03

Entrada da Ufal em Maceió
Ascom UFALEntrada da Ufal em Maceió

No próximo dia 25 de janeiro de 2021, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) completa 60 anos de existência. A data não pode ser comemorada com o brilhantismo que a comunidade universitária sabe dar, com a orquestra, uma grande festa, prêmios e solenidades. A gestão, os pesquisadores, técnico-administrativos, o corpo docente e os estudantes estão imbuídos na missão de salvar vidas, de garantir informação e solidariedade nestes tempos de pandemia.

A Ufal celebra os 60 anos cumprindo a tarefa que assumiu nessas décadas: colaborar com o desenvolvimento científico, econômico e social e com o enfrentamento dos problemas e desafios que se colocam para toda a sociedade. A Universidade tem contribuído decisivamente para o combate à pandemia da covid-19 em diversas frentes: da Saúde à Tecnologia da Informação. Além de colaborar no enfrentamento de outros dramas, como a subsidência em quatro bairros de Maceió por conta da mineração no subsolo de área habitada da capital alagoana.

O reitor da Ufal, professor Josealdo Tonholo, destaca que a colaboração científica e acadêmica da Universidade começou antes mesmo do ato formal de criação. “A Faculdade de Direito, que é uma das faculdades que constituíram com a Ufal no início, está completando 90 anos. Então, temos uma longa história de contribuição ao Estado de Alagoas, formando docentes, especialistas, profissionais de diversas áreas, atuando na gestão, na ciência e no desenvolvimento socioeconômico. Para mim, é um orgulho muito grande ser o reitor dessa grande instituição”, declarou.

A gestão do reitor Josealdo Tonholo iniciou no final de janeiro de 2020, logo após, quando iria iniciar o semestre letivo, a gravidade da pandemia obrigou a suspensão de todas as atividades e foi necessário tomar medidas para proteger a comunidade universitária. “Tivemos que lidar com a insegurança, a incerteza. Foi um ano em que choramos muitas perdas de amigos e de integrantes da Ufal. Um ano que não acabou, continua trazendo desafios. Estamos superando as adversidades com a grande capacidade de reinvenção da nossa universidade”, relatou Tonholo.

O reitor ressalta a capacidade que a Universidade demonstrou para dar respostas rápidas às demandas deste momento dramático. “O Hospital Universitário montou uma Unidade Covid e colaborou para salvar vidas de alagoanos; nossos pesquisadores direcionaram as pesquisas para atuar no combate à pandemia; e adequamos as atividades acadêmicas às condições de isolamento necessárias para esse momento. Mas a Ufal não deixou de funcionar, pelo contrário, atuou decisivamente. Aprendemos muito nesse período e ainda temos muito o que aprender”, destacou.

Embora a pandemia de covid-19 esteja sendo o maior desafio enfrentado pela sociedade mundial neste século, outras grandes questões mobilizaram a competência técnica e científica da Ufal. “Alagoas vem atravessando algumas dificuldades, como a crise econômica com a derrocada da produção de cana-de-açúcar; o derramamento de óleo, que afetou o litoral nordestino, atingindo principalmente o meio ambiente e o turismo; e tem o drama do afundamento dos bairros com um impacto profundo na economia alagoana. Diante desses fatos, a Universidade tem se posicionado e vem colaborando de várias formas”, ressaltou Tonholo.

Mesmo diante de tantas dificuldades, o reitor Josealdo Tonholo destaca algumas das grandes ações realizadas em 2020, como a 3ª Expedição pelo Rio São Francisco, o Circuito Penedo de Cinema, e todas as atividades de enfrentamento à pandemia. “Essas ações que a Ufal construiu para colocar à disposição da sociedade alagoana são lastreadas na competência técnica dos seus servidores, que, por sua vez, está vinculada à qualidade da formação acadêmica oferecida nos cursos de graduação e pós-graduação”, ponderou o reitor.

A Ufal conta atualmente com 102 cursos de graduação e 43 cursos de pós-graduação. “Toda essa estrutura dialoga bastante com a sociedade. Mas precisamos aprofundar cada vez mais esse vínculo. Precisamos interagir ainda mais com as instituições alagoanas, com as representações legislativas, executivas e jurídicas, nas esferas municipais, estadual e federal para enfatizar esse papel da Universidade como vetor de desenvolvimento. Na nossa gestão temos trabalhado muito para fortalecer essa relação”, explicou o reitor.





Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade