Alagoas, 24 de janeiro de 2021 25º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
SEM CHUVA

Seca se agravou em Alagoas durante outubro, aponta monitor do governo

Maior aumento na área com seca foi registrado no Rio Grande no Norte

Bruno Fernandes

23/11/2020 14h02

Monitor de Secas aponta aumento da seca em Alagoas
Reprodução/ SemarhMonitor de Secas aponta aumento da seca em Alagoas

O mapa do Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico atualizado nesta segunda-feira, 13, indica que além de Alagoas, outros seis estados registraram em outubro piora na condição de seca relativa na comparação com setembro.

O maior aumento na área com seca (50%) foi registrado no Rio Grande no Norte, que passou a ter 83% do seu território sob influência do fenômeno. Em geral, no Nordeste o cenário foi de expansão territorial da seca: Paraíba teve aumento de 38%; Alagoas, de 23%,; Ceará, de 17%; e Sergipe, de 14%.

Dos 19 Estados analisados, houve aumento da seca em Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Rio Grande do Sul. Os dados foram comparados com setembro.

A agência explica que o mês de outubro, em Alagoas, é caracterizado por poucas chuvas em quase todo o estado. As chuvas observadas ficaram abaixo da média na região leste e acima da média no extremo oeste.

Este quadro, apoiado pelos indicadores de seca, levaram a um avanço da área de seca fraca na região centro-norte do estado. Predominam os impactos de curto prazo, ficando somente parte da porção oeste sob impactos de seca de curto e longo prazo.

Apesar do aumento nessas regiões, por outro lado, 6 tiveram melhora no quadro (Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal), com redução da seca. Os outros ficaram em situação similar à do mês anterior.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade