Alagoas, 24 de janeiro de 2021 24º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Mineração de sal-gema

Braskem fecha apenas 4 poços após um ano de suspensão das atividades

Petroquímica diz que monitora estabilidade das minas para decidir momento ideal do fechamento definitivo

Tamara Albuquerque

10/11/2020 08h08 - Atualizado em 10/11/2020 08h08

Petroquímica anunciou o fechamento das minas de sal-gema em Maceió em maio de 2019
Extra/ArquivoPetroquímica anunciou o fechamento das minas de sal-gema em Maceió em maio de 2019

A petroquímica Braskem, que encerrou as operações de 35 poços de extração de sal-gema em Maceió, revelou à reportagem do Jornal Extra o andamento do trabalho de fechamento dessas minas, que são exploradas desde 1975. Apesar de inativas há mais de um ano, na prática, a empresa fechou definitivamente apenas 4 dessas unidades. O procedimento ou metodologia utilizado para preencher os poços não foi divulgado.

As informações, repassadas num resumo, reforçam que todos os 35 poços estão sem operar e 9 deles apresentam condições estáveis, entre os quais, 4 foram fechados e 5 estão na fase de instalação dos sensores que acompanham a estabilidade ao longo dos anos e são decisivos para definir o momento ideal de fechamento.

Em dezembro, segundo a Braskem, serão fechados outros 9 poços que “estão completamente dentro do sal”. O Programa de monitoramento foi implantado pela empresa em outros 13 poços para que os técnicos decidam quando deve ocorrer o fechamento definitivo das cavidades. Os 4 poços restantes serão preenchidos com areia, mas a data não foi informada. As ações estão sendo acompanhadas pela Agência Nacional de Mineração.

A Braskem interrompeu as atividades de exploração do sal-gema nessas minas após a divulgação do relatório do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que apontou, em maio deste ano, as atividades de mineração da empresa como geradoras do fenômeno de subsidência (afundamento) abrupto do solo em quatro bairros da capital: Pinheiro, Mutange, Bom Parto e Bebedouro. Desde então, a empresa teria que adotar medidas para corrigir o problema, mas este trabalho não foi divulgado à população ou à imprensa.

Na última quinta-feira, a Braskem anunciou em reunião na Federação das Indústrias do Estado de Alagoas que vai retomar as atividades na fábrica de cloro-soda que fica no Pontal da Barra, no final deste mês, mas esclareceu que a matéria-prima a ser usada na produção é importada.


Leia a nota da Braskem enviada ao Jornal Extra:


Dos 35 poços de sal localizados nos bairros de Maceió, todos com operações encerradas, 9 estão em condição estável sendo que em 4 destes já foi realizado o plano de fechamento da frente de lavra, e 5 estão na fase de instalação dos sensores que permitem o acompanhamento dessa estabilidade ao longo dos anos.
Nos próximos meses, outros 9 poços que estão completamente dentro do sal e que já têm o plano de fechamento definido passarão pelo mesmo processo. O programa de monitoramento implantado nos demais 13 poços [o programa] irá definir o momento do seu fechamento definitivo. Existem ainda 4 poços que terão de ser preenchidos com areia.
Estudos adicionais estão em andamento para confirmar o status de preenchimento natural de 4 poços. Os trabalhos de fechamento definitivo dos poços são sempre aprovados pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e contam com as demais autorizações necessárias.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade