Alagoas, 27 de outubro de 2020 24º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
GNV SEGURO

Explosão de veículo assusta alagoanos e faz surgir questionamentos sobre gás veicular

Bruno Fernandes

18/10/2020 05h05

Veículo foi destruído com explosão do sistema de GNV
Cortesia ao EXTRAVeículo foi destruído com explosão do sistema de GNV

A explosão de um carro enquanto era abastecido com gás veicular em um posto de combustíveis na Avenida Comendador Gustavo Paiva, no bairro da Cruz das Almas, em Maceió, na segunda-feira, 12, chamou atenção dos alagoanos para a segurança do combustível que, apesar de econômico, pode ser perigoso se não for usado de forma adequada.

Explosões como a que aconteceu no posto, segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, são tão raras que nem a própria corporação possui um histórico em seu sistema interno de acidentes com GNV. Antes do ocorrido na segunda, feriado da padroeira do Brasil, o último registrado aconteceu apenas em 2018, quando um incêndio de altas proporções atingiu um veículo e deixou o trânsito completamente parado na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol.

Apesar de raro, o acontecimento chocou os alagoanos devido a violência da explosão, registrada por câmeras do próprio posto. Embora barato, o combustível ainda não é tão comum em Alagoas, tendo se popularizado apenas entre taxistas e ubers.

Dos 886.434 veículos cadastrados pelo Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), apenas 13.296 utilizam GNV como principal forma de combustível no estado. O especialista em instalação de kits de gás veicular Everton Domingos, que atua há mais de 15 anos no mercado, esclarece que GNV não é perigoso e se bem cuidado, o cilindro que armazena o combustível não oferecerá riscos aos motoristas.

“Depois desse incidente na Cruz das Almas, muita gente me ligou pedindo informação, outros foram até a loja pedir para retirar o kit e não é bem assim que funciona”, conta. Segundo Domingos, a revisão no sistema de GNV depois de instalado é um dos principais pontos a serem observados e deve ser feita anualmente, sendo aconselhada pelas próprias montadoras.

A data das revisões, inclusive, é fixada em um adesivo no próprio cilindro responsável por armazenar o combustível. Além disso, existem cinco empresas no estado credenciadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para fazer a fiscalização da qualidade dos kits vendidos, garantindo uma segurança maior ao motorista. O Detran, neste caso, apenas autoriza o veículo a instalar o kit.


Leia a reportagem na íntegra no Jornal Extra nas Bancas!

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade