Alagoas, 29 de novembro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Eleições 2020: jornal Extra e rádio Web Cidadania terão 10 horas de cobertura neste domingo.
VIOLÊNCIA

Número de feminicídios em Alagoas está acima da média nacional

Sete estados brasileiros se recusaram a divulgar dados

Bruno Fernandes

08/10/2020 13h01 - Atualizado em 08/10/2020 13h01

Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo
Fernando Frazão/Agência BrasilTaxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo

Dados revelados pelo jornal O Globo nesta quinta-feira, 8, mostram que o número de feminicidios em Alagoas ficou acima da média brasileira entre os meses de maio e agosto. O estado apresenta uma taxa de 0,75, enquanto a média do Brasil é de 0,34.

De acordo com o jornal, além de Alagoas, outros 12 estados estão igual ou acima da média: Mato Grosso (1,03), Roraima (0,74), Mato Grosso do Sul (0,65), Piauí (0,64), Pará (0,62), Maranhão (0,47), Acre (0,44), Minas Gerais (0,43), Bahia (0,39), Santa Catarina (0,38), Distrito Federal (0,37) e Rio Grande do Sul (0,34).

Os números são do segundo monitoramento "Um vírus e duas guerras" feito por parceria entre sete veículos de jornalismo independente, que visa monitorar a evolução da violência contra a mulher durante a pandemia. A atualização, revelou ainda que entre maio e agosto foram mais 304 casos de feminicídio no Brasil, 11% a menos do que o mesmo período de 2019.

A queda, no entanto, não é um indicativo real de diminuição da violência. Somente 20 estados enviaram os dados solicitados. Os sete estados que não divulgaram todos os dados, de março a agosto de 2019 e 2020, são: Amazonas, Amapá, Ceará, Goiás, Paraíba, Paraná, Sergipe e Amazonas.

Para ficar mais claro: feminicídio trata dos assassinatos de mulheres em que o fato de serem mulheres foi fator essencial no crime, já o homicídio de mulheres indica mortes não ligadas a questões de gênero, como mortes em assaltos ou outras formas de violência.

Sete estados têm aumento no feminicídio de março a agosto

Doze estados registraram queda do números absolutos de feminicídios entre março e agosto, representando uma redução de 23% em relação ao mesmo período de 2019. Rio Grande do Sul e Distrito Federal foram os que mais contribuíram com a diminuição. Por outro lado, em sete estados houve aumento de 23% (38 mortes) em relação ao mesmo período do ano anterior. Pará e Mato Grosso encabeçam o aumento: 15 e 10 mortes respectivamente.

De março a agosto, o país registrou uma taxa de feminicídios por 100 mil habitantes mulheres de 0,56. Doze estados, que juntos somam 49% da população feminina do total analisado, tiveram taxas acima desta média nacional e foram responsáveis por 67% das mortes (331 feminicídios). Entre os que tiveram maiores altas estão Mato Grosso (1,72), Acre (1,32) e Mato Grosso do Sul (1,16).

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade