Alagoas, 20 de outubro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
pilar

Mãe pede justiça pela morte do filho em operação policial

Edneide Figueredo denuncia que família foi vítima de abuso e ameaças

José Fernando Martins

20/09/2020 13h01 - Atualizado em 20/09/2020 14h02

Edneide com o filho, que estudava Direito, em dezembro de 2019
DivulgaçãoEdneide com o filho, que estudava Direito, em dezembro de 2019

O dia 5 de fevereiro de 2020 foi um divisor de águas para Edneide Figueredo Nobre. Ela, que estava em uma entrevista de emprego para o cargo de cozinheira, recebeu um telefonema que iria mudar sua vida: a Polícia estava em sua casa para conseguir mais informações sobre o filho, o estudante de Direito Tiago Kennedy Figueredo de Oliveira, de 20 anos. 

Desesperada com a situação, pegou um táxi e chegou na sua residência. Lá se deparou com agentes encapuzados revirando cômodos. “Também ofenderam e ameaçaram minha filha, que estava grávida. Chamaram ela de ‘cachorra’ e disseram que se não falasse sobre meu filho iriam voltar depois de uma semana para matá-la. Isso em frente da minha neta de um ano e oito meses”.

Mas a pior notícia estava por vir: ela iria ter que enterrar o filho morto a tiros. A notícia veiculada na imprensa na ocasião é de que Tiago Kennedy, junto a mais duas pessoas - o primo Halysson dos Santos Oliveira Lima, 26, e José Cícero Santos da Silva, 42 - teriam morrido durante troca de tiros com polícia. A mãe discorda da versão apresentada pelas autoridades e pede justiça.

Leia na íntegra no EXTRA ALAGOAS nas bancas!

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade