Alagoas, 27 de setembro de 2020 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
para consumo humano

Ministério inclui água potável de Alagoas na lista de melhor qualidade

Tâmara Albuquerque

31/08/2020 10h10 - Atualizado em 01/09/2020 09h09

Estação de tratamento de água
DivulgaçãoEstação de tratamento de água

A população de Alagoas que dispõe de abastecimento de água em suas residências tem o privilégio de consumir água potável de boa qualidade e livre de impurezas que favoreceriam ao adoecimento, segundo avaliação do Ministério da Saúde. O estado tem um dos melhores desempenhos (121%) no cumprimento das metas da “Diretriz Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano”. Isso significa que Alagoas está entre os estados com maior cuidado à água utilizada para beber, atendendo ao padrão de potabilidade estabelecido na legislação vigente.

Este mês, o Ministério da Saúde divulgou um boletim com Indicadores Institucionais do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua) referentes ao ano de 2018 – que é o material mais atualizado. O documento apresenta informações sobre o abastecimento e também para embasar as decisões dos gestores municipais e o planejamento das ações de vigilância da qualidade da água.

De acordo com o documento, em 2007 as ações do Vigiagua eram realizadas em 27% dos municípios brasileiros, o que representa 1.508 cidades; no período de 2010 a 2012, o percentual de municípios manteve-se em torno de 68%, o que significa 3.800 regiões. O resultado de 2018 diz que 80% das cidades brasileiras alcançaram a meta proposta para o ano de 2019 referente aos cuidados com a qualidade da água para o consumo humano. 

Em 2018, Alagoas registrava 91% dos municípios com dados de cadastro, controle e vigilância da qualidade da água para consumo. No Nordeste, o estado com melhor desempenho nesses itens foi Sergipe (96%). O percentual das demais unidades federativas da região foi de: Bahia (76); Ceará (91%); Maranhão (21%); Paraíba(90%); Pernambuco (81%); Piauí (27%) e Rio Grande do Norte (54%).

Segundo o gerente de Vigilância em Saúde Ambiental de Maceió, Alex Tenório Freire, a capital tem feito seu dever de casa. “Contratando mais técnicos, preenchendo nosso laboratório com insumos, montando um laboratório para análise para que nós tenhamos melhor qualidade no nosso serviço. Temos feito esse trabalho árduo, um trabalho de formiguinha, mas que tem uma importância muito grande, fazendo com que essas pessoas que estão na ponta, nossos usuários e que são as pessoas menos favorecidas e consomem essa água no seu dia a dia, não adoeçam com tanta facilidade”, destacou em entrevista ao portal Brasil 61.

O Vigiagua consiste em um conjunto de ações adotadas continuamente pelas autoridades de saúde pública nos municípios, estados e na União com o objetivo de promover a saúde da população e prevenir agravos e doenças de transmissão hídrica, por meio da gestão de riscos relacionados ao abastecimento de água para consumo humano.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade