Alagoas, 07 de agosto de 2020 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
TRABALHO

Alagoas fecha mês de junho com quadro positivo de admissões

Estado registrou 5.560 trabalhadores admitidos contra 4.697 demitidos, um saldo de 863 postos de trabalho

Redação com Assessoria MTE

02/08/2020 08h08

O país fechou 10.984 postos de trabalho
DivulgaçãoO país fechou 10.984 postos de trabalho

O Brasil fechou 1.198.363 postos de trabalho de janeiro a junho deste ano, sofrendo os impactos da pandemia de Coronavírus, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na última terça-feira, 28, pelo Ministério da Economia. Foram 6.718.276 contratações e 7.916.639 demissões no ano.

Em junho, o país fechou 10.984 postos de trabalho. Foram registradas 895.460 contratações e de 906.444 demissões no mês. O setor de serviços foi o mais impactado no mês, com saldo negativo de 44.891, influenciado principalmente pelo fechamento de 35.340 postos de trabalho em alojamento e alimentação.

Alagoas apresentou resultado positivo na geração de postos de trabalhos. Em junho, o estado registrou 5.560 trabalhadores admitidos contra 4.697 demitidos. O saldo é de 863 postos, uma variação relativa de 0,27%.

Em todo o Nordeste, o estado só perdeu em percentual de admissões para os estados do Rio Grande do Norte (0,43%) e Maranhão (0,82%). O salário médio de contratação era de R$1.696,22 em junho.

O comércio fechou 16.646 vagas formais e a indústria geral, 3.545. Na contramão, a construção e a agricultura, pecuária produção florestal, pesca e aquicultura abriram novas vagas (17.270 postos) e 36.836 postos, respectivamente. De todas as unidades federativas do país, 17 tiveram saldos positivos e 10, negativos.

Os melhores resultados foram registrados em Mato Grosso (+6.790), Pará (+4.550 postos) e Goiás (+4.334 postos). Já Rio de Janeiro (-16.801 postos), São Paulo (-13.299) e Rio Grande do Sul (-4.851) foram os locais que mais fecharam empregos formais no país.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade