Alagoas, 03 de abril de 2020 26º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
EM ATÉ 10 DIAS

Call centers devem reduzir funcionários em 50% e implantar 'home office'

As medidas foram publicadas em um Decreto Estadual nesta sexta-feira

Bruno Fernandes

20/03/2020 19h07 - Atualizado em 20/03/2020 19h07

Prefeito durante visita à Almaviva
Secom MaceióPrefeito durante visita à Almaviva

O governador de Alagoas informou na noite desta sexta-feira, 20, que as empresas de call centers do estado devem reduzir em 50% a quantidade de trabalhadores dentro de suas dependências.

Renan Filho (MDB) informou também que foi determinado um prazo de 10 dias para as empresas implantarem o teletrabalho (home office) para todos os trabalhadores. As medidas foram publicadas em um Decreto Estadual nesta sexta.

"As pessoas vão trabalhar na própria casa evitando aglomerações na empresa. O Prefeito de Maceió concorda e vai tomar uma decisão semelhante e a decisão vale para todos os call centers de Alagoas", explica o gestor em um vídeo divulgado no Instagram.

Protesto na Almaviva

Na tarde de hoje, funcionários da Almaviva do Brasil, um dos principais call centers do país, cruzaram os braços e paralisaram suas atividades, no bairro do Salvador Lyra, na parte alta Maceió, por receios em relação ao novo coronavírus.

Funcionários, que não quiseram se identificar, informaram que os postos de atendimento são muito próximos uns aos outros e contrariam as recomendações do ministério da Saúde — que preconiza ao menos um metro entre as pessoas para evitar contágio.

Além da proximidade, eles afirmam que não tem álcool em gel e que a Almaviva informa que o material está em falta. "Estamos compartilhando o mesmo ambiente, mesmo equipamento catraca e outras coisas. São mais de seis mil funcionários e o vírus pode se propagar", afirmam.

Procurado pelo EXTRA, o Ministério Público do Trabalho em Alagoas informou que irá protocolar uma denúncia e verificar que medidas que poderão ser tomadas.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade