Alagoas, 28 de fevereiro de 2020 26º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
EM OFÍCIO À ANEEL

Defensoria pergunta: 'Onde está a superioridade da Equatorial para aumentar tarifa?'

Assessoria

14/02/2020 11h11 - Atualizado em 14/02/2020 11h11

Equatorial têm sido alvo de muitas denúncias
DivulgaçãoEquatorial têm sido alvo de muitas denúncias

Com o objetivo de garantir transparência e a ampla participação dos cidadãos alagoanos nas discussões sobre o possível aumento da tarifa de energia elétrica em Alagoas, o coordenador do Núcleo de Direitos Coletivos e Humanos da Defensoria Pública, o defensor público Fabrício Leão Souto, recomendou, nesta sexta-feira, 14, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) adote medidas para ampla divulgação e participação da sociedade alagoana, na audiência pública marcada para o próximo dia 5 de março, às 15h, no Auditório do SENAC Poço. O documento estabelece prazo de dez dias para resposta.

O defensor público solicitou, também, que a Aneel torne público e claro quais são os subsídios que pretende obter da sociedade alagoana, de forma a permitir que o cidadão e demais segmentos tenham ciência da situação, a fim de assegurar uma consulta pública produtiva e propositiva.

Por fim, solicita que a Agência designe uma data a mais para a discussão, a fim de ampliar os momentos de escuta ativa das entidades públicas e privadas e dos órgãos públicos.“Antes mesmo de se apresentar melhorias sistêmicas, substanciais e tangíveis que seriam de se esperar da privatização (que foram amplamente divulgadas para justificá-la), verifica-se que está em iminência de percorrer o caminho mais fácil e conveniente de – primeiramente – onerar significativamente o consumidor (12% em média), sem antes entregar resultados positivos e concretos cuja expectativa foi amplamente gerada”, expôs o defensor.

"A indagação que surge, dentre outras, é: onde está a superioridade operacional da iniciativa privada que se evidencie sem ter de recorrer a simplesmente aumentar tarifa? As melhorias são resultado da maior eficiência da iniciativa privada ou apenas fruto de maior contribuição dos consumidores?", indagou à agência. 

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade