Alagoas, 29 de janeiro de 2020 26º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
caso pinheiro

Comerciantes vão ter que comprovar atividade para receber indenização

Audiência pública tratou do futuro dos moradores dos bairros prejudicados pela Braskem

Bruno Fernandes

14/01/2020 18h06 - Atualizado em 14/01/2020 19h07

Audiência pública aconteceu no Cepa
Bruno FernandesAudiência pública aconteceu no Cepa

Aconteceu na tarde desta terça-feira, 14, no ginásio do CEPA, no Farol, em Maceió, a audiência pública com os moradores do Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto, bairros afetados pela mineração da Braskem. 

Durante apresentação, a procuradora da República Roberta Bonfim fez questão de ressaltar que o acordo assinado com a petroquímica não teve a influência de políticos.

"Não houve políticos ou associações sentadas à mesa nas tratativas deste acordo. Precisamos dizer isso para que os senhores não recebam informações que não sejam verdadeiras", frisou.

Foi explicado que os moradores só poderão ter direito à indenização quando assinarem o termo de desocupação.

E mesmo se não houver acordo referente ao valor indenizatório, os moradores terão que deixar os imóveis por decisão da Justiça.

Quanto aos comerciantes, eles terão que comprovar que desempenhavam atividade através de recibos. Com a comprovação, cada um receberá um adiantamento de R$10 mil. 

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade