Alagoas, 17 de outubro de 2019 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
BATALHA

Testemunha da morte de Boiadeiro identifica pistoleiros

Redação

19/09/2019 11h11 - Atualizado em 20/09/2019 11h11

O policial civil Joaquim Lins Piraua Neto
Foto: DivulgaçãoO policial civil Joaquim Lins Piraua Neto

Em depoimento à Justiça, o policial civil Joaquim Lins Piraua Neto, que acompanhava o vereador Neguinho Boiadeiro quando ele foi assassinado, em Batalha, no dia 9 de novembro de 2017, não reconheceu nenhum dos acusados pela polícia de serem os executores do homicídio.

Até agora, o "crime de mando" é considerado sem mandante. Conforme Pirauá, que chegou a ser atingido pelos criminosos, ele recebeu de um policial de nome Jimmy, destacado em Batalha, fotos de dois suspeitos, que afirmou crer serem os pistoleiros que mataram o vereador.

Sendo assim, os acusados pelo crime que vitimou Boiadeiro Sandro Pinto, Rafael Pinto, Maikel dos Santos, além de dois homens conhecidos como Cleber e Kelmany, seriam inocentes. As informações são do blog do jornalista Ricardo Mota.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade