Alagoas, 22 de julho de 2019 23º min 25º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
INFORMALIDADE

Comércio irregular cresce na orla de Maceió

Assessoria

11/07/2019 14h02

Orla de Maceió
DivulgaçãoOrla de Maceió

De dia, um comércio a céu aberto. A noite, a cena se repete, mas sai das areias das praias para a calçada da orla. O comércio informal vem crescendo cada vez mais no calçadão de Maceió, principalmente na orla de Ponta Verde e Pajuçara. A grande quantidade de pessoas vendendo comidas, brinquedos, capinhas de celular, porta retratos, roupas, bijuterias e artesanatos, que não são típicos alagoanos, chama a atenção dos passantes, em especial dos turistas que visitam a capital do estado.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH-AL), Milton Vasconcelos, conta que muitos turistas se incomodam com a abordagem e a quantidade de comerciantes nas calçadas e na praia. Além disso, os artesãos e comerciantes formalizados, que ficam na feirinha da Pajuçara e no Pavilhão do artesanato, acabam sendo prejudicados com a concorrência desleal. “Sabemos que hoje muitas pessoas buscam alternativas de trabalho, e muitos deles são válidos, mas precisa-se ter uma ordem, uma fiscalização, para que ninguém saia prejudicado, e que os turistas possam desfrutar desses lugares de forma tranquila”, avalia.

Segundo Milton a solução é um ordenamento da orla de Maceió, que iria identificar os ambulantes, cadastrá-los e organizar o comércio na região. “Em muito lugares do mundo que tem o turismo como principal atividade, como é o nosso caso, o ordenamento é respeitado''.

Eles ressaltam ainda que algumas das ações de fiscalização realizadas na orla marítima, e que foram divulgadas nos canais oficiais do município, foram: operações de ordenamento da orla; operações na faixa de areia; disciplinamento dos ambulantes nos eventos (a exemplo do carnaval); operações no calçadão; ações com os ambulantes de coco verde e com os artesãos. 

“Em virtude dessas ações, existem processos que estão seguindo seus trâmites regulares rumo a aplicação de penalidades, resguardado o direito à ampla defesa”, destaca o Secretário Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social, Coronel Enio Bolivar.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir 15.5k
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade