Alagoas, 22 de julho de 2019 23º min 25º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Série A

CSA precisa de arranque rápido para não entrar em desespero

O time alagoano já está em uma situação sensível e precisa se recuperar antes que o desespero tome conta

Redação

09/07/2019 14h02

A equipe alagoana tem apenas seis pontos em nove jogos disputados e apenas uma vitória
Foto: AssessoriaA equipe alagoana tem apenas seis pontos em nove jogos disputados e apenas uma vitória

Depois de tanto tempo longe da elite do futebol brasileiro, o CSA foi para a parada da Copa América em má situação e teve um período sem jogos oficiais tumultuado. Ainda há muito Campeonato Brasileiro pela frente, mas a reação precisa ser rápida para a caminhada no escalão superior não se tornar em uma corrida contra o tempo.

A equipe alagoana tem apenas seis pontos em nove jogos disputados e apenas uma vitória, quando bateu o Goiás em casa na sexta rodada. A 19ª posição na tabela é desconfortável.

O time parou para a Copa América com o treinador Marcelo Cabo no comando, mas depois de uma derrota por 3 a 1 em amistoso para o Sport ele acabou demitido. É provável que ele não esperasse isso, já que fez 10 alterações e rodou o elenco.

Por isso a necessidade de um arranque rápido na volta da parada, já que todos os erros de equipes que subiram da Série B para a Série A.

Mudança repentina de treinador


Cabo foi um dos heróis do acesso e gozava de bom prestígio com a torcida e clube até entrar este ano, quando as coisas foram azedando. Mudar o treinador sempre parece ser o primeiro passo de todo dirigente brasileiro, mas se ele tinha perdido o elenco, por que não fazer a mudança logo após a derrota para o Flamengo em casa na nona rodada?

O CSA esperou mais 18 dias e basicamente matou o trabalho feito nesta intertemporada. Agora chega Argel Fucks, que não empolga tanto, para tocar o barco e fazer o melhor, sendo que ele poderia ter tido valiosos treinos no mês de junho para conhecer o elenco e implantar suas ideias.

O que esperar de Argel?


Um dos nomes mencionados foi o de Lisca, protagonista da arrancada do Ceará ano passado para ficar na Série A do Brasileirão. Entretanto as duas partes não chegaram a um acordo e chegou Argel, que tem experiência na competição, mas sempre assume no papel de bombeiro mais na base do “vamo lá” do que por alguma sofisticação tática ou técnica.

Contratações para todo lado


O CSA fez contratações até não poder mais neste ano e nem por isso chegou com um elenco talentoso ou de qualidade. Nesta parada chegaram Rodolfo Gamarra e Julián Benítez e Jean Cléber.

O dedo para essas contratações não parece ser muito direcionado e elas já causaram alguns maus momentos. O colombiano Pablo Armero foi dispensado por indisciplina, com Manga e Maidana sendo punidos também.

Na lista acima de reforços eu não citei Keirrison porque ele foi anunciado, foi fazer testes mas logo acabou dispensado por não ter mostrado a condição física desejada. Ricardo Bueno foi anunciado logo depois e Alecsandro fechou a lista nesta semana.

Esse é outro erro comum de times brasileiros, o de contratar por contratar e não pensar nas características do jogador, fazer o estudo de suas carreiras e seus momentos ou desempenhos recentes e depois fazer má administração do elenco.

Não conseguir mandar em casa


O número 45 é sagrado para quem busca não cair no Brasileirão, já que esse é o número de pontos que basicamente salva uma equipe. É muito difícil chegar nele sem conseguir três pontos em casa com frequência e salvar o que der fora.

O CSA teve dois bons resultados ao empatar com Palmeiras e Santos, líder e vice, no Rei Pelé, logo na 2ª e 3ª rodadas. As derrotas para Botafogo e Flamengo doeram e já ter levado goleadas de Ceará e Atlético-MG (4 a 0 ambas) também são um golpe nos ânimos.

Apenas cinco pontos em cinco jogos em casa são o mais preocupante e esse número precisa subir bastante para poder sonhar com mais um ano na Série A.

Sequência no pós-Copa


O time alagoano já pega o Corinthians na volta, em São Paulo, no dia 14 de julho. Uma derrota não pode desesperar porque os quatro jogos seguintes são vitais. Athlético-PR e Grêmio em casa são chances para o CSA mostrar a que veio na Série A. Depois o time pega o também em perigo Vasco fora e o Fortaleza em casa. Nesses duelos diretos, tirar pontos fora e vencer em casa é um excelente negócio.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir 15.5k
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade