Alagoas, 17 de junho de 2019 24º min 25º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
RECOMENDAÇÃO

Ministério Público pede afastamento do presidente do Conselho Estadual de Saúde

Redação

24/05/2019 18h06 - Atualizado em 24/05/2019 18h06

Jesonias da Silva, presidente do CES/AL
DivulgaçãoJesonias da Silva, presidente do CES/AL

O Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) através da 26ª Promotoria de Justiça da Capital, recomendou no último dia 16 de maio o afastamento do presidente do Conselho Estadual de Saúde de Alagoas (CES/AL) Jesonias da Silva

O pedido feito pela promotora de Justiça, Louise Maria Teixeira da Silva considera denúncias de irregularidades nos trâmites legais para eleição da diretoria do Conselho Estadual de Saúde para o biênio 2019/2021.

Segundo os documentos, a Fundação Educacional de Estímulo à Geração de Emprego (Fundege), representada por Jesonias da Silva, não teria apresentado ata de eleição e posse, devidamente registrada em cartório.

Para que Jesonias pudesse participar legalmente da eleição do CES, o mesmo precisava estar legalmente constituído como presidente da Fundege.

"Considerando que a ausência de diretoria configura a inatividade da pessoa jurídica, tanto que o referido documento exigido pela Comissão Eleitoral do CES, quando da inscrição para participar das eleições, não prova no presente caso, de que a Fundege possui ou possuía, à época das eleições para o biênio 2019/2021, diretoria com mandato em vigor, nos últimos nove anos", diz a recomendação.

Em sua decisão, a promotora ainda pediu ao Plenário do Conselho Estadual de Saúde (CES/AL), que adote no prazo de dez dias úteis, a contar do acatamento da recomendação, a nulidade parcial da Resolução nº 02, de 14 de janeiro de 2019, da Comissão Eleitoral do CES, referente ao deferimento, que previu a habilitação da Fundege nas eleições do Conselho para o biênio 2019/2021.

Com a retirada da Fundege, da composição do CES, a promotora recomendou também, que o órgão de fiscalização estadual de saúde, faça constar como titulares, da entidades de Movimentos Sociais de Defesa dos Direitos, a Associação de Assistência e Desenvolvimento Social Peregrino Amor, o Instituto Alvorada, o Instituto Feminista Jarede Viana e o Centro de Cultura e Estudos Étnicos – Anajô; devendo configurar por outro lado, como suplentes, o Centro de Apoio à Mulher e Idoso de Alagoas – Ceami, a Associação de Assistência e Desenvolvimento Social Peregrino Amor, o Instituto Alvorada e o Instituto de Defesa dos Consumidores do Estado de Alagoas (Idecon), representado pelo senhor Tony Cloves, autor da denúncia contra a irregularidade da entidade de Jesonias da Silva. (Guia Mais)

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir 15k
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade