Alagoas, 17 de novembro de 2019 25º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
BAIRRO AFUNDANDO

Bairro do Pinheiro passa a ser monitorado por GPS de alta precisão

Serviço pode identificar movimentação de solo com precisão milimétrica e auxiliar trabalhos de autoridades

Redação com assessoria

22/04/2019 16h04

Bairro sofreu com tremores de terra em março de 2018
Afrânio BastosBairro sofreu com tremores de terra em março de 2018

A partir desta terça-feira, 23, o Bairro do Pinheiro passa a contar com um sistema de monitoramento de alta precisão para medições de possíveis movimentações de solo, o GPS diferencial. O sistema é composto por uma rede de receptores GNSS (Global Navigation Satellite System), de precisão milimétrica, utilizados em levantamentos topográficos, em escala local, e geodésicos, em escala mundial. A atividade terá início na Travessa Camaragibe, às 8 horas.

A combinação desses receptores permite o acompanhamento de dados em tempo real e auxiliará autoridades na tomada de decisão e adoção de medidas cabíveis em casos de movimentações não previstas no solo. Os dados serão enviados à central de monitoramento, que ficará localizada na sede da Defesa Civil Municipal, situada na Rua João Barros Pinho, nº 107, no Bairro do Pinheiro.

A primeira etapa do serviço é um monitoramento temporário em seis pontos de observação do bairro, pré-selecionados junto à Prefeitura de Maceió e a Defesa Civil. A segunda fase do projeto tem início previsto até 20 de maio, quando chegam os equipamentos para instalação de pontos fixos de monitoramento. O sistema será interligado a um software de processamento de dados capaz de gerar um diagnóstico preciso das movimentações do solo, o que permitirá a realização de ações preventivas.

Esse monitoramento é uma das exigências estabelecidas nas ações emergenciais para mitigação dos problemas do bairro do Pinheiro e incluídas no Acordo de Cooperação Técnica firmado entre a Braskem, o Município de Maceió, o Ministério Público Federal (MPF-AL), o Ministério Público Estadual (MPE-AL), o Ministério Público do Trabalho (MPT-AL) e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-AL).

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade