Alagoas, 03 de dezembro de 2021 26º min 32º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CRIME AMBIENTAL

CASAL já foi notificada mais de 80 vezes por crime ambiental

28/09/2015 10h10

CASAL já foi notificada mais de 80 vezes por crime ambiental

A Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL) é “campeã” no número de autos de infração e notificações recebidos em virtude de agressões ao meio ambiente em Maceió e prática de possíveis crimes ambientais na capital alagoana. Somente de janeiro de 2015 até setembro deste ano, a CASAL já foi notificada mais de 80 vezes pela Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (SEMPMA).

E mais: somente em multas, a CASAL deve ao município de Maceió quase R$ 500 mil reais. Como a Cia. de Saneamento de Alagoas não paga o valor das multas à Prefeitura, nem realiza a contento o serviço de saneamento na capital, a Secretaria está realizando um mutirão para cobrar da CASAL tanto o pagamento, quanto a realização dos serviços na cidade.

“Queremos o pagamento da multa, mas, em verdade, o que queremos é que a CASAL realize seu serviço de sanear Maceió. Hoje são diversos os casos de esgoto transbordando nas ruas da cidade, jorrando por bueiros e bocas de lobo, sendo despejado nas praias como ‘línguas sujas’ ou sendo descartado de forma criminosa em grotas e nascentes” afirmou ao Cada Minuto o secretário municipal de Proteção ao Meio Ambiente Davi Maia.

Os casos mais graves de infrações ambientais cometidas pela CASAL, são, na parte baixa de Maceió, os transbordamentos de esgoto ocorridos nos Postos de Vistoria (PV’s) e as ligações clandestinas da rede de esgoto na rede de águas pluviais direcionadas para as praias (línguas sujas).

Já na parte alta da cidade, há casos graves como da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Conjunto Habitacional do Benedito Bentes I, sistema que se encontra completamente sucateado e inoperante quanto a eficiência no tratamento dos efluentes lançados sem tratamento na bacia do Rio Pratagy.

Ministério Público e Polícia Federal

Parte destes mais de 80 autos de infração e notificações já estão poder de organismos como Ministério Público e Polícia Federal (PF). A investigação sobre o descarte de esgoto nas praias de Maceió por meio das “línguas sujas” já chegou na PF, que esta investigando este crime ambiental.

Na investigação, a PF chegou a apresentar em entrevista coletiva no mês de agosto um laudo técnico realizado em um trecho da praia de Jatiúca, e na Avenida Amélia Rosa. De acordo com o delegado federal André Santos Costa, a amostra constatou que fezes humanas e até papel higiênico, todos provenientes de ligações de esgoto clandestino, são lançadas no mar da capital.

A investigação da Polícia Federal coletou oito amostras, sendo cinco no mar de Jatiúca, duas nas saídas das galerias e mais outra nas calçadas da Avenida Amélia Rosa, onde o refluxo do esgoto chegou a jogar fezes no asfalto. Segundo o delegado, o limite máximo de coliformes fecais nesses trechos avaliados superou a média de 1000/NMP por 100 ml coletados.

Fonte: Cada Minuto

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade