Alagoas, 29 de novembro de 2021 26º min 32º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
ESGOTOS

Empreendimentos precisam garantir eficiência no tratamento de esgotos

25/09/2015 09h09

Empreendimentos precisam garantir eficiência no tratamento de esgotos

Todo empreendimento que gere resíduo líquido precisa ter uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) eficiente para não prejudicar o meio ambiente e a saúde humana. Em Maceió, apesar da grande quantidade de ETEs, poucas são as que funcionam de acordo com os padrões estipulados pelos órgãos ambientais. A maioria delas despeja os dejetos, sem tratamento, diretamente nos recursos hídricos, deixando-os inutilizáveis.

Para que as ETEs funcionem de forma eficiente, é preciso que seja feita a operação correta e a manutenção adequada e periódica do sistema. O ecólogo Mateus Gonzalez, da empresa Aguapé, destaca que a operacionalização das estações não é um procedimento simples.

Ele fala da importância de contar com os conhecimentos de especialistas no assunto, seja para treinar e capacitar os profissionais responsáveis pela operacionalização das estações nos condomínios, para corrigir o que houver fora dos padrões ou para orientar, entre outras coisas, sobre o reaproveitamento da água após passagem pela ETE.

“As estações de tratamento são projetadas para funcionar e comprovadamente elas funcionam, mas se não forem operadas da forma correta, elas não serão eficientes. Esse é o problema. Se não funciona, a estação passa a ser apenas uma passagem para o esgoto. Ele passa por lá e é lançado nos corpos hídricos do mesmo jeito”, afirma Mateus Gonzalez.

O engenheiro químico da Aguapé, Antônio Palmeira, explica que existem muitos tipos de estações de tratamento. A maioria deles é formado por um sistema biológico, que utiliza colônias de bactérias que fazem a remoção da carga poluidora.

“O objetivo da estação é a redução da carga orgânica. O esgoto sanitário é composto por uma média de 94% a 97% de água. O restante é matéria sólida. A operação da estação em si é primordial. Ela tem que ser diária e constante”, conta.

Segundo ele, os tratamentos preliminares das estações são fundamentais para que elas se mantenham em pleno funcionamento. Eles tiram a sujeira e a areia, para que esse material não vá para os reatores e comprometam o sistema. O excesso gordura é outro problema. Ele entope a tubulação e causa mau cheiro.

REUTILIZAÇÃO

O líquido resultante da estação de tratamento bem operada pode ser reutilizado de diversas formas, evitando o desperdício de água potável. Em época de crise hídrica, é uma ótima maneira de fazer o racionamento desse bem natural. Além de servir para regar jardins, a água também é útil na hora de dar descargas. Quando bem tratada, ela fica incolor e inodora.

O reaproveitamento da água proveniente das Estações de Tratamento de Esgoto bem operadas já é uma solução utilizada nos países mais desenvolvidos. No Brasil e, em Alagoas, ainda é um recurso pouco adotado.

De acordo com Mateus Gonzalez, o descarte de esgoto fora dos padrões nos recursos hídricos configura-se em crime ambiental. O responsável pela gestão do empreendimento imobiliário pode ser responsabilizado administrativamente e criminalmente por isso. Também pode perder a outorga e ser embargado pelos órgãos ambientais

Fonte: GazetaWeb

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade