Alagoas, 29 de novembro de 2021 26º min 32º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CPMF

'O governo federal não está fazendo o dever de casa', diz Rui Palmeira

17/09/2015 10h10

'O governo federal não está fazendo o dever de casa', diz Rui Palmeira

O prefeito Rui Palmeira (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (17), durante a entrega da reforma de uma unidade de saúde no Jacintinho, que os recursos da CPMF seriam bem-vindos em Maceió, mas que o dinheiro precisaria ser investido na saúde e não utilizado para cobrir um rombo na Previdência Social. Ele fez críticas ao governo federal e disse que ele não tem feito o "dever de casa", ressaltando que não acredita na volta do imposto.

"É um dinheiro que precisamos que viesse para a saúde. O teto financeiro de Maceió está congelado desde 2013. Todo dinheiro é bem-vindo, mas acho grave que o governo proponha um novo imposto sem cortar na carne, sem diminuir cargos comissionados e nem ministérios. A reforma ainda não apresentou nada concreto e o governo não tem feito o dever de casa”, criticou o prefeito.

Segundo Rui Palmeira, está faltando clareza por parte do governo federal quando se trata do reajuste fiscal. “Cada semana é lançado um pacote e depois o governo volta atrás. Está faltando clareza. É ruim para a população um novo imposto e acredito que dificilmente a presidente vai conseguir aprovar isso no Congresso. Ainda não consegui entender direito essa nova CPMF, que, ao invés de ir para a saúde, iria para o rombo da previdência social”, falou.

PARALISAÇÃO DAS PREFEITURAS

Sobre a mobilização das prefeituras alagoanas, que ocorre desde o início da semana, como forma de protesto contra a redução do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), Rui Palmeira destacou que Maceió fará uma paralisação simbólica, suspendendo os serviços nesta sexta-feira (18), após as 12h, nos gabinetes do prefeito e do vice-prefeito.

“Estamos solidários ao movimento da AMA [Associação dos Municípios Alagoanos], só não poderemos paralisar nossos serviços. Maceió não pode parar os serviços de saúde; educação; SMCCU e nem Secretaria de Finanças. Não podemos prejudicar mais a população e a prefeitura. Por isso vamos fazer de maneira simbólica. É um protesto válido dos prefeitos, já que 95% dos municípios dependem quase que exclusivamente do FPM”, pontuou.

Na noite da última terça-feira (15), a prefeitura divulgou nota informando que apoiava a mobilização dos municípios, mas que não iria aderir à iniciativa para não prejudicar a população.

As declarações desta quinta-feira foram dadas no Jacintinho, durante a solenidade de entrega da reforma da Unidade de Saúde Waldomiro Alencar, onde foram investidos R$ 270 mil, sendo parte dos recursos da União e outra do Município.

"É mais uma unidade que entregamos completamente recuperada. É um posto que atende milhares de pessoas no bairro e que estava com uma situação precária. Também reativamos o serviço de odontologia, que estava fechado há vários anos. Agora a população terá melhores serviços”, destacou.

Fonte: GazetaWeb

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade