Alagoas, 24 de outubro de 2021 25º min 30º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
ABUSO DE AUTORIDADE

Geraldo Cardoso afirma que filho foi algemado e agredido no rosto por PM

29/06/2015 10h10

Geraldo Cardoso afirma que filho foi algemado e agredido no rosto por PM

O cantor alagoano Geraldo Cardoso se manifestou através das redes sociais sobre o cancelamento do seu show, que seria realizado na última sexta-feira (26), após o filho dele ser detido por desacato a autoridade.

Na publicação, o cantor relata que o filho foi agredido no rosto pelo capitão do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), identificado como Daniel Simões Coutinho. Cardoso afirma ainda que o carro estava em uma área restrita para artistas e organizadores do São João Central, no Jaraguá, e que por estar atrasado, pediu para o filho estacionar o veículo que estava sobre o passeio público.

O capitão Felipe, sub-comandante do BPTran, informou ao G1 que a Corregedoria da Polícia Militar irá apurar e esclarecer os fatos, para que a verdade seja descoberta, mas nega que o militar do BPTran tenha agredido ao adolescente de 16 anos.

"É natural que o pai queira defender o filho, mas é necessário apurar os fatos. Os militares que estavam na guarnição informaram que o adolescente chegou conduzindo o carro, em alta velocidade, e que tratou a guarnição com arrogância, proferindo palavras de baixo calão", afirma o capitão.

Na publicação, o cantor diz que, "logo em seguida, pedi ao meu filho que voltasse e fizesse a manobra para tentar estacionar o veículo em um espaço adequado, repito, dentro da área reservada aos artistas e demais pessoas envolvidas no evento. E assim ele o fez. Mas quando já estava voltando a pé, já perto da entrada de acesso que leva aos camarins, meu filho foi abordado pelo Capitão PM Daniel Simões Coutinho, do Bptran”.

Ainda de acordo com o cantor, o policial agiu em atitude tendenciosa ao pedir o documento do veículo e a habilitação do adolescente, que informou que não tinha habilitação por ter menos de 18 anos, mas que a documentação estava dentro do carro.

Ele afirma ainda que o filho pediu aos policiais para que o chamassem, para esclarecer a situação e teve o pedido negado.

“Em mais uma conduta duvidosa, o oficial não só negou o pedido, como também arrastou o meu filho para a viatura. Nervoso com o absurdo que estava acontecendo, meu filho tentou se desvencilhar e acabou sendo agredido covardemente pelo Capitão Daniel Simões Coutinho, com uma tapa no rosto”.

“Não satisfeito, o Militar voltou a agredir meu filho quando ele quis visualizar sua identificação no uniforme. Em mais um ato de completo despreparo, o Capitão Coutinho simplesmente arrancou a tarjeta de identificação e esfregou no rosto do menino gritando que o nome dele era Coutinho”, desabafa o cantor Geraldo Cardoso.

A publicação relata ainda que o adolescente foi algemado e posto dentro da viatura, onde permaneceu por mais de uma hora, e que apesar dos esforços de Cardoso, o seu carro foi guinchado e ele teve que acompanhar o filho até a delegacia.

“Precisava acompanhar meu filho e também não tinha mais condições emocionais de levar alegria com a minha música, quem é pai pode imaginar o quanto é doloroso ver seu filho sendo tratado, injustamente, como um marginal e não poder fazer nada”, explica o cantor.

Geraldo Cardoso finaliza o texto pedindo desculpas aos fãs e relata ainda que vai tomar todas as medidas cabíveis para que o caso não fique impune, pois o filho dele irá precisar de acompanhamento psicológico, pois está traumatizado e chorando o tempo todo.

Fonte: G1

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade