Alagoas, 24 de janeiro de 2022 24º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Política

Judson pede que ALE investigue propagandas da gestão Vilela

Sessão desta tarde de quarta-feira foi marcada pelo debate sobre o tema

Gazeta Web

24/04/2014 10h10

Durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Alagoas na tarde desta quarta-feira (23), deputados apontaram a existência do que consideram ser um 'abismo' entre as propagandas do governo estadual e a realidade do povo alagoano. O tema foi levado à discussão pelo deputado Judson Cabral (PT), que classificou as formas de publicidade como 'enganosas e acintosas', alertando os colegas sobre a necessidade de a Casa de Tavares Bastos investigar os gastos do Estado com a divulgação de suas ações. 

Em seu pronunciamento, o petista chamou a atenção para o alto valor dispensado pelo estado às empresas de publicidade, que, segundo ele, são favorecidas por diversos interesses. Já o líder do PT na ALE, deputado Ronaldo Medeiros, levantou uma questão de ordem ao afirmar que, no mês de abril, a Secretaria de Comunicação teve crédito suplementar na ordem de R$ 8,8 milhões. 

“Enquanto se coloca na TV uma realidade que não existe, a maternidade Santa Mônica é fechada por falta de estrutura, resultado de uma gestão que prefere a mentira. O governador deve responder pelo crime de responsabilidade e a propaganda não deve ser prioridade de uma gestão, mas, sim, as áreas sociais. A alocação de todos esses recursos deve ser investigada, além das empresas de publicidade”, discursou Judson. 

O deputado Ronaldo Medeiros, novamente com a palavra, afirmou considerar que as propagandas financiadas pelo governo apresentam à sociedade ‘uma ilha da fantasia’. “Como acreditar em uma gestão que coloca na televisão mentiras, escondendo as dificuldades? Por que não se mostra os hospitais públicos, as escolas, e as demais estruturas do poder público? É uma mentira sobre a outra, que não resulta em nenhum benefício à sociedade”, apontou Medeiros. 

O líder do governo na ALE, deputado Edval Gaia (PSDB), por sua vez, reconheceu as dificuldades enfrentadas pela população. Contudo, o tucano culpou o governo Dilma Rousseff (PT) pelo caos nas áreas da segurança pública e saúde. “O PT é o responsável pelo caos instalado no país. Basta recordar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas. O governo do estado é que vem salvando Alagoas, encontrando caminhos para reverter os índices sociais negativos”, rebateu Gaia. 

Em seguida, Judson fez uma espécie de réplica e rechaçou as acusações do líder do Executivo. De acordo com o petista, o governo Dilma Rousseff é reconhecido por Vilela como importante instrumento no combate à criminalidade. “Além do péssimo IDH, esse governador também é o grande responsável pelo crescente Índice de Crescimento de Casas Funerárias de Alagoas [ICCF]”, ironizou Cabral.

 

 

Fonte: Gazeta Web

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade