Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Blogs

Gustavo Fonseca DOUTOR MULTAS
Por Gustavo Fonseca

17/08/2018 - 10:47:54

Saiba como combater a fobia no trânsito

Foto: Divulgação

Todas pessoas que possuem a Carteira Nacional de Habilitação sabem como funciona o processo para adquirir o documento. Aulas teóricas, práticas, provas e exames, tudo isso faz parte dos procedimentos para tirar a tão desejada carta.

Porém, para alguns, esse processo é muito traumático. Pressão da família, acidentes de trânsito e medo de dirigir em vias muito movimentadas são alguns dos motivos que causam um abalo emocional nos condutores, principalmente nos que acabaram de tirar a carta.

Além disso, duras críticas de outros motoristas ao recém-habilitado acabam gerando um trauma. E esse tipo de trauma pode se agravar e vir a ser um problema muito maior: fobia no trânsito.

Mas o que é a fobia no trânsito?

A fobia no trânsito é quando um condutor sente medo exorbitante de dirigir. Porém, também existem casos que só de pensar em ficar atrás de um volante as pessoas já começam a passar mal. Esse pavor em dirigir causa, no condutor, algumas reações anormais, como tremedeira, desgaste emocional e até taquicardias.

Em um estudo realizado pela Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Trânsito), constatou-se que quase 2 milhões de pessoas convivem com esse medo extremo de dirigir. Desse montante, aproximadamente 1,5 milhões de pessoas que possuem esse tipo de transtorno psicológico são do sexo feminino.

De onde surge esse transtorno psicológico?

Geralmente, esse medo está relacionado a traumas que o condutor teve, como um acidente de trânsito, mas, em alguns casos, o medo começa na autoescola. O processo para tirar a CNH é descrito no art. 147 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

"art. 147: O candidato à habilitação deverá submeter-se a exames realizados pelo órgão executivo de trânsito, na seguinte ordem:

I - de aptidão física e mental;

II - (VETADO)

III - escrito, sobre legislação de trânsito;

IV - de noções de primeiros socorros, conforme regulamentação do CONTRAN;

V - de direção veicular, realizado na via pública, em veículo da categoria para a qual estiver habilitando-se."

Por ser um processo longo e com diversos métodos de avaliação, o medo de errar e ser reprovado quando está fazendo a avaliação acaba tomando conta do candidato que, mesmo após ser aprovado, permanece com ele.

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) também possui uma resolução em que é prevista a forma de aplicação das avaliações.

O que diz o Contran

Na Resolução nº 425 do Contran, está prevista a obrigatoriedade dos exames de aptidão física e mental para o candidato ser considerado apto a guiar um carro. No texto, é explicado como se dá a aplicação das provas, o que é avaliado nos candidatos, quais os métodos que devem ser utilizados pelos examinadores e quais as condições impostas para o examinado ser considerado apto.

No seu art. 5º, está previsto que, na avaliação psicológica, deve ser tido, como método de avaliação, as tomadas de informações, a maneira como ela é processada, a tomada de decisão, o comportamento do candidato, a autoavaliação e os traços da personalidade do examinado.

Já o art. 6º estabelece as técnicas empregadas na avaliação: entrevistas com o candidato, teste psicológico, dinâmicas com outras pessoas e capacidade de ouvir e responder provocações no trânsito.

Vale lembrar que no art. 8º da referida Resolução é previsto como os resultados são dados aos examinados. O candidato só será reprovado se possuir algum tipo de incapacidade motora irreversível que o impossibilite de dirigir os automóveis da categoria na qual ele pretende obter a CNH.

Sobre os exames psicológicos, o art. 9º prevê que o candidato só é reprovado se o seu desempenho não for condizente com o necessário para dirigir um veículo.

Como vimos anteriormente, os testes de aptidão física e mental são exames em que o candidato deve se submeter para poder adquirir sua CNH. Por ser um exame de caráter eliminatório, os candidatos acabam ficando inseguros, o que pode gerar traumas maiores.

Como vencer essa fobia?

Para ajudar os condutores que apresentam essa fobia, vários estados do país já possuem escolas voltadas para pessoas que já têm CNH, em que os condutores podem adquirir maior experiência no trânsito ao praticar novas aulas de condução. Deste modo, o motorista consegue se sentir mais seguro e aumentar a sua confiança na hora de pegar o carro.

Porém, é importante lembrar que essas aulas são direcionadas apenas para pessoas que já possuem a CNH, ou seja, não é como a autoescola. Nessas instituições, os condutores têm aulas específicas para vencer a fobia e conseguir se sentir seguro no trânsito, diferentemente da autoescola, onde se aprende sobre leis de trânsito.

Em algumas dessas instituições de ensino para condutores já habilitados, há aulas somente para mulheres. Nesses locais especializados, as professoras tentam deixar o ambiente da classe com aspecto mais aconchegante e feminino, o que proporciona maior conforto e segurança para a motorista com medo de dirigir.

Contato

E-mail: [email protected]

Telefone: 0800 6021 543

O Doutor Multas não presta qualquer serviço restritivo de advogado ou outro tipo de serviço jurídico, atuando apenas na esfera administrativa.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia