Alagoas, 17 de junho de 2019 24º min 25º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Jorge Morais
Blog

Artigo Jorge Morais

Por Jorge Morais

É chique transar em Paris

Jorge Morais

10/06/2019 15h03

Se a Polícia Civil do Rio de Janeiro não mudou de opinião, hoje, sexta-feira (7), o delegado vai ouvir o atacante Neymar Jr sobre o caso do suposto estupro denunciado por uma jovem de 26 anos. Há uma semana que o assunto não sai dos noticiários, que o jogador pegou a mulher sem ela querer, bateu nela e, depois, abandonou e fez ameaças. O Neymar divulgou pelas redes sociais um vídeo contando o que ocorreu e se disse chantageado pela moça e seu advogado, que por sinal abandonou a causa por não concordar com o estilo dela.

Pois bem. Faço esse relato para dizer o que realmente penso do Neymar Jr. Se em campo é um grande jogador, talvez o melhor em atividade como brasileiro, fora dele não conseguiu, ainda, amadurecer. Neymar acha que deve ser tratado como menino, já aos 26 anos de idade. É paparicado pelo pai, amigos e parte da imprensa brasileira e, talvez por isso, não tenha se enxergado como profissional e pessoa pública que é, sempre aprontando fora de campo, como recentemente ao agredir um torcedor na França, o que lhe rendeu uma punição.

Não tenho nada com a vida pessoal dele, nem ninguém tem, mas o cara cheio de problemas, fica para cima e para baixo de helicóptero, chegando à Granja Comary, local de treinamento e concentração da Seleção Brasileira, como se fosse um rei, e nem todo rei age como ele. São pessoas mais simples e que não se expõem tanto como o Neymar. Até o fechamento desse artigo, o Departamento Jurídico da CBF estava tentando transferir o depoimento do Neymar Jr para depois da Copa América, ou seja, final de julho, isso se a nossa seleção chegar até a final da competição. Não sei se eles conseguiram isso do delegado, mas tentaram.

O que me deixa mais triste ainda é o comportamento do técnico Tite. Depois de tantos problemas, para tirar a braçadeira de capitão do Neymar o treinador fez uma reunião especial com o jogador, de portas fechadas, para fazer o comunicado. Provavelmente foi pedir perdão pelo seu gesto. Enquanto a comissão técnica achar que o Neymar é o mais importante jogador da nossa Seleção Brasileira, vamos ficar sempre dependentes dele e o Brasil sem ganhar nada. Não entro no mérito do problema entre o Neymar e a garota. Se ouve estupro ou agressão é uma situação deles e da justiça para julgar. Só sei de uma coisa: a história não me cheira bem. E digo mais: se é chique ou moderno não sei afirmar, mas a “vítima” saiu do Brasil com tudo pago pelo “estuprador” e vai ser estuprada em Paris e, segundo o dito cujo, não era a primeira vez que eles mantinham relação.

É realmente um caso de polícia e que a verdade seja descoberta pelo delegado, para que a gente possa ter um Neymar focado só na Copa América, que tenho lá minhas dúvidas se vamos vencer. Com certeza, até chegar aos 30 anos ainda vamos acompanhar muitos problemas na carreira desse jogador, mesmo que ele tenha dito que, agora, aprendeu. Só sei de uma coisa: essa me parece ser uma história que tem enredo, forjada pelo dinheiro fácil e de um final ruim, pois o jogador sempre achou que dinheiro é tudo na vida.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir 15k
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade