Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2017

Só no site :: Alagoas

12/09/2017

Eleição para reitor e vice-reitor da Uncisal será nesta quarta

Por Pedro Oliveira * - Colunista do EXTRA
Foto: Divulgação

Na próxima quarta feira, dia 13, a Uncisal - Universidade de Ciências da Saúde, estará realizando em segundo turno a eleição para escolha de seu novo reitor que vai substituir a atual reitora, professora Rosângela Wyszomirska, na alta cúpula da importante e tradicional instituição de ensino superior na área médica alagoana. 

A reitora atual vive um péssimo momento de sua trajetória na administração pública. Recentemente foi conduzida coercitivamente pela Polícia Federal, sob suspeita de desvios de milhões dos cofres da Secretaria Estadual da Saúde, da qual era titular. 

O governador do Estado e o governo como um todo nada disseram em sua defesa, pelo contrário, indiretamente jogaram a culpa na execrada auxiliar, que tem se mantido leal e nada revelou sobre os atos criminosos cometidos contra o dinheiro da saúde, dos remédios dos hospitais e da vida de milhares de pessoas que precisam de atendimento e não encontram, diante do estado deplorável em que este governo transformou o setor. 

A reitora apresentou uma candidata à sua sucessão e essa naturalmente se “contaminou” com as graves acusações e por pouco não é derrotada no primeiro turno. Vai para a segunda disputa ainda mais fragilizada, diante de um candidato que representa o antagonismo da atual gestão da Universidade. 

A chapa favorita e que deve vencer a disputa, com uma grande vantagem, é liderada pelo professor Henrique Costa, tendo como vice a professora Ilka Soares. Uma dupla de docentes respeitados pela ética e pela capacidade de realizar as transformações que há muito tempo clamam alunos, professores e pessoal administrativo, numa crescente insatisfação com os rumos que tomou a administração. 

O professor Henrique Costa é conhecido por suas ideias transformadoras e voltadas para a valorização dos servidores, que precisam ser incentivados e reconhecidos, a qualidade do ensino para dar uma formação digna e abrangente e a qualificação dos professores. Pesa a seu favor, também, sua posição contrária a qualquer política de privatização de hospitais e terceirização dos serviços fins da área de saúde. 

Conheci a instituição em 1981, ainda Escola de Ciências Médicas, quando ocupei uma vaga no seu Conselho de Administração, na companhia de renomados mestres como Delza Gitai (reitora da Ufal), Alberto Cardoso, Pedro Teixeira. Sempre foi uma entidade respeitada e “construtora” da memória cientifica de Alagoas. 

Com o tempo cresceu e se transformou em Universidade, mas o próprio tempo tratou de destruir muito desse conceito. Surge agora a esperança de que esse tempo seja retomado, para uma efetiva reconstrução de um dos maiores patrimônios da educação superior de Alagoas. 

 * A opinião do colunista não representa necessariamente a posição editorial do EXTRA ALAGOAS.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia