Acompanhe nas redes sociais:

22 de Novembro de 2017

Outras Edições

Edição nº 947 / 2017

09/11/2017 - 22:09:01

Presidente da Câmara de Batalha é assassinado a tiros

EM REAÇÃO À MORTE DO PAI, FILHO DE NEGUINHO BOIADEIRO ATIRA CONTRA FILHO DO EX-PREFEITO ZÉ MIGUEL

DA REDAÇÃO
Neguinho Boiadeiro foi morto na porta da Câmara

O pecuarista e presidente da Câmara de Batalha, Adelmo Rodrigues de Melo, 61, conhecido como Neguinho Boiadeiro, foi assassinado com vários tiros no início da tarde desta quinta-feira,9, quando saia daquela Casa Legislativa. Envolvida em vários crimes de pistolagem, a família Boiadeiro tentou engatar na política em alguns municípios do Agreste e Sertão alagoanos, mas apenas Neguinho teve êxito elegendo-se vereador no último pleito. Ironicamente, Neguinho Boiadeiro usou em sua campanha política o slogan “Com Deus e o povo”. 

Antes de chegar à Casa Legislativa, em 2012 Neguinho Boiadeiro foi candidato a prefeito de Batalha, mas perdeu o páreo para Aloísio Rodrigues. A polícia apela para que quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro do assassino ligue para o Disque-Denúncia 181 que terá identidade preservada.

Em reação à morte do vereador, o filho do ex-prefeito José Rodrigues Dantas – o Zé Miguel, assassinado pelos Boiadeiro em 1999 - José Emílio Rodrigues Dantas, teria sido baleado por um dos filhos de Neguinho Boiadeiro. O clima de tensão tomou conta da cidade e a Secretaria de Segurança Pública enviou dezenas de militares para Batalha na tentativa de acalmar os ânimos. Vídeos foram espalhados nas redes sociais, uns mostram várias viaturas do Bope se dirigindo ao local, em outros há pessoas apavoradas com tiros disparados na rua.  Até helicópteros da PM foram acionados. No total, são três vítimas, uma fatal e dois feridos – além de José Emílio, o segurança do vereador assassinado, um policial militar cujo nome não havia sido divulgado até o fechamento desta edição.

Toda essa pressão e mobilização da polícia acontece para evitar outro confronto. É que a maior rivalidade na região acontece entre as famílias Dantas e Boiadeiro. Inclusive, o presidente da Assembleia Legislativa, Luiz Dantas, é irmão de Zé Miguel, assassinado em 1999 por Laércio Boiadeiro, irmão de Neguinho.

O jornal EXTRA tentou contato com o presidente da Assembleia, mas uma mulher que se identificou como esposa do parlamentar disse que não teria nada a declarar.

Em nota, a SSP informou que assim que foi comunicada  da situação, tomou todas as medidas necessárias. O reforço policial, conta com equipes das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Perícia Oficial e do Grupamento Aéreo da SSP. 

De acordo com a nota, o delegado regional de Batalha, Rômulo Monteiro, está investigando o caso. “Após tomarem conhecimento do crime, o diretor da área do Sertão, delegado Cícero Lima, e o delegado de Pão de Açúcar, Sandro Marcelo, foram para a cidade ajudar na elucidação do caso”. 

18 ANOS DA MORTE DE ZÉ MIGUEL

O rosário de crimes da família Boiadeiro é grande, mas o que mais repercutiu foi o assassinato do ex-prefeito de Batalha, Zé Miguel, em 1999. Pelo crime, o agropecuarista José Laelson Rodrigues de Melo, conhecido como Laércio Boiadeiro, foi condenado a 35 anos de prisão pelo assassinato do ex-prefeito, que na época tinha 57 anos, e da mulher dele, Matilde Tereza Toscano de Souza, 30. Boiadeiro foi libertado em abril de 2010 pelo desembargador Orlando Manso, que entendeu haver falhas no processo.

Zé Miguel foi executado dentro do seu veículo, quando seguia de Batalha para a sua propriedade, em Jaramataia, após participar de uma festa. O ex-prefeito estava na companhia da mulher e foi atingido por mais de 20 disparos de arma de fogo em um trecho da AL-220. Durante o primeiro julgamento, Laércio Boiadeiro disse que estava fora do estado no dia do crime e que soubera do duplo homicídio pela imprensa. 

Vale ressaltar que em junho de 2006, uma operação conjunta envolvendo as polícias Militar e Civil e o Núcleo de Combate ao Crime Organizado (NCCO) resultou na prisão de pessoas da família Boiadeiro. Na ocasião, foi realizado um cerco à casa de Adelmo Rodrigues de Melo, o Neguinho Boiadeiro. Agora, com a morte de Neguinho Boiadeiro, parece que a guerra entre as famílias Boiadeiro e Dantas está longe de acabar. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia